Do abrir e fechar

Na semana em que no âmbito da pandemia Covid-19 esteve no ar a possibilidade de o Reino Unido fechar o seu corredor aéreo a Portugal, com todas as consequências que esta decisão acarretaria para o nosso turismo e a nossa economia (o que felizmente não se verificou), a Festa do Avante vai abrir portas e segue dentro de momentos.

Conheço este evento anual na Quinta da Atalaia e penso que é dos maiores e diversificados eventos culturais do país. Mas em 2020 não deveria realizar-se. Nos tempos que vivemos, todo o cuidado é pouco. Não abrir portas este ano na Atalaia era no mínimo uma decisão de bom senso. A não ser que existam outras razões que a razão desconhece.

Na Atalaia abrem-se portas, nos aeroportos ameaça-se fechar corredores. E que mais poderá fechar?

Por estes dias preocupa-me também a falta de informação e a falta de transparência.

Sou pai e como todos os pais com filhos em idade escolar, estou preocupado e ansioso com as portas que se vão abrir dentro de dias: as portas das escolas. A informação escasseia, principalmente para os encarregados de educação. Pelos vistos, as escolas já têm indicações desde 3 de Julho, segundo a DGS, mas pouco ou nada comunicam. E os pais nada sabem, mas já tinham o direito de saber, para sua tranquilidade e segurança dos seus filhos.

Vivemos num mundo de comunicação. Não comunicar ou comunicar mal leva ao “diz que disse”, e a esta falta de confiança que impera quando as portas das escolas vão abrir para milhares de crianças e jovens. Veremos até quando.

Espero, para bem de todos, que não se tenham de voltar a fechar as portas das escolas, e por arrasto, as portas das empresas e das nossas casas. Que haja mais bom senso, mais e melhor informação, para que não tenhamos de voltar a fechar as portas do país.

04.09.2020

2018 Copyright © BDC                             Criado por    MM Design

logo site MM negativo.png
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter - Grey Circle