Buscar

Da honestidade política

«Uma das principais propostas que estamos a trabalhar e a avançar neste período da pandemia é precisamente aproveitar a oportunidade que nos é dada pela dificuldade, que é o facto de os alojamentos locais não terem hoje clientes em número significativo, para alugarmos, arrendarmos esses alojamentos, para depois os podermos subarrendar a famílias das classes médias e aos jovens». Mais coisa, menos coisa, num melhor ou pior português, terão sido estas as palavras do presidente da Câmara Municipal de Lisboa num debate sobre turismo em tempos de Covid-19 realizado na capital.


Depois do episódio do artigo-de-opinião-sobre-o-fim-do-airbnb-em-lisboa-que-afinal-não-era-bem-assim-visto-que-se-tratou-de-um-erro-do-the-independent-vejam-só, Fernando Medina continua filado em exterminar o alojamento local em Lisboa. Sem querer discutir a opção estratégica, é legítimo considerá-la tardia e oportunista quando colocada nestes termos. Se ele tivesse dito assim um ‘foi bom enquanto durou, mas agora vou mas é aproveitar a onda para cativar o bom eleitor que habita em cada lisboeta à procura de uma casa em conta’ teria sido muito mais honesto, que é o que se aprecia num político, mas que, em boa verdade, quase não se encontra em nenhum.


Marta Romão, diretora-geral BDC - Empower to Lead



2018 Copyright © BDC                             Criado por    MM Design

logo site MM negativo.png
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter - Grey Circle