Buscar

Do senhor Erdogan

Assim como quem não quer a coisa e aproveitando com precisão cirúrgica o estado de alheação global a que nos levou o COVID-19, o senhor Recep Tayyip Erdogan encosta a União Europeia à trave, abre as fronteiras entre a Turquia e a Grécia e caminha para uma sequela da crise humanitária de 2015, que levou mais de 500 mil pessoas só nesse ano a cruzar o Mediterrâneo numa viagem sem regresso ou sequer destino certo. “O que é que andamos a dizer há meses? Que se isto continuasse, seríamos obrigados a abrir as nossas portas. Não acreditaram em nós”, defende-se o governo turco, sim, esse mesmo que amealhou uns quantos milhões de euros da UE em 2016 em troca de mais apoio aos refugiados.

Também podia ter dito que esta decisão tem tudo a ver com a escalada de tensão entre a Turquia e a Rússia, apoiantes de lados opostos no conflito sírio. Seria mais sincero ainda que continuasse sem contribuir para resolver o problema, melhor dizendo tragédia, em que se transformou a Síria. Em bom rigor, uma tragédia a que a fatia do mundo que açabarca máscaras e desinfetante de mãos se acostumou e para a qual não haverá vacina de efeito imediato.


Marta Romão, diretora-geral BDC - Empower to Lead

2018 Copyright © BDC                             Criado por    MM Design

logo site MM negativo.png
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter - Grey Circle